Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Publicidade RML

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
   
Capa
Entrevistas
Equipe
Mural
News
Contato
Reviews
CD's
DVD's
Demos
Magazines
Shows
Multimídia
Fotos
Links
Bandas
Zines
Gravadoras
Rádios
Diversos

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
Untitled Document
 
 

Versão para impressão .

Enviar por e-mail .

Receber newsletter .

Versão PDF  .

Relatar Erro [erro]

 

Reviews Cds's

ALTERA O
TAMANHO DA LETRA
 

Recife Metal Law - O seu portal de informação!

 

CARNIÇA - Temple’s Fall… Time to Reborn


CARNIÇA
“Temple’s Fall… Time to Reborn”
Independente – Nac.


Após doze anos, finalmente a banda gaúcha Carniça chega ao seu segundo álbum, “Temple’s Fall... Time to Reborn”. O início do álbum já começa com a tensa “Oil War”, com sons de cantos árabes, tiros e explosões, de cara mostrando do que sua letra trata. Quando o instrumental entra, é melhor afastar o que está por perto, pois a fúria é incontrolável! Thrash Metal veloz e furioso, mas sem deixar de lado as ‘paradinhas’ matadoras e que servem para testar se o pescoço está realmente pronto para o bangin’. O álbum não poderia ter começado de forma melhor. Como a Carniça é uma banda que surgiu em 1991, a sua sonoridade ‘old school’ soa bem natural, com destaque para os volumosos solos do guitarrista Parahim Neto (responsável por alguns backing vocals), que também não poupa nos riffs, pesados e densos. Os vocais de Mauriano Lustosa seguem uma linha mais grave, o que deixa a sonoridade da banda, em alguns andamentos, bem tensa, enquanto que seu baixo é de suma importância para deixar a sonoridade mais encorpada. Achei bem interessante o tipo de distorção usado nas linhas de baixo. Já a bateria de Marlo Lustosa é um verdadeiro ataque bélico, com passagens marcadas e que soam como um chamado à guerra. A banda mostrou total coesão nas linhas instrumentais, e seu som é bem característico. Sinceramente, não consegui traçar um paralelo entre a banda Carniça e alguma outra banda de Thrash Metal, mostrando que a banda tem personalidade, esta conseguida em 20 anos de carreira. Ouçam “Till the End” e a excelente “Immortal” (apesar do imortal – desculpem-me o trocadilho – “ashes to ashes, dust to dust” no seu início) e mantenham o pescoço imóvel, se capazes forem. Essa música ainda contém alguma passagens mais acústicas, que só veio a enriquecer a parte instrumental. Entre as sete músicas presentes nesse álbum (a última é uma instrumental, no melhor estilo Metallica, e recebe o título de “Paradise”), existe um cover para “Hell Awaits” do Slayer. Thrash Metal em estado puro!

Site: www.myspace.com/carnicaband

Resenha por Valterlir Mendes
 
 
Busca no site
 
Veja tambm